Lugares Bíblicos - Alexandria

Saiba onde fia a Alexandria

Alexandria

Alexandria é uma cidade do Egito; com uma população de cerca de 4,1 milhões de pessoas, é a segunda maior cidade do Egito, e o maior porto do país, servindo 80% das importações e exportações da cidade. Além disso, é um grande ponto turístico.

Alexandria se estende por 32 quilômetros na costa mediterrânica do centro-norte do Egito. É o local onde fica a famosa Biblioteca de Alexandria e é um importante centro industrial por causa do gás natural da cidade e dos poços de petróleo em Suez, uma outra cidade egípcia. Alexandria também foi um grande ponto de encontro entre a Europa, a África e a Ásia, porque a cidade beneficiou da ligação entre o mar Mediterrâneo e o mar Vermelho.

Nos tempos antigos, Alexandria foi uma das cidades mais importantes do mundo. Foi fundada em torno de um pequeno "vilarejo" em 331 a.C. por Alexandre, o Grande. Permaneceu como capital do Egito durante mil anos, até à conquista muçulmana do Egito, quando a capital passou a ser Futsat (que foi depois incorporada no Cairo).

Alexandria era conhecida pelo Farol de Alexandria (uma das sete maravilhas do mundo antigo), pela Biblioteca de Alexandria (a maior do mundo antigo) e pelas catacumbas de Kom el Shoqafa (uma das sete maravilhas do mundo medieval). A arqueologia marinha em Alexandria estava em curso no porto da cidade em 1994, e tem revelado detalhes de Alexandria antes da chegada de Alexandre, quando aí existia uma cidade chamada Rhakotis, no Período Ptolomaico. Fonte: Wikipédia.

Versículos bíblicos que citam a cidade de Alexandria:


E, achando ali o centurião um navio de Alexandria, que navegava para a Itália, nos fez embarcar nele. (Atos 27:6)

E chegou a Éfeso um certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, homem eloqüente e poderoso nas Escrituras. (Atos 18:24)

E três meses depois partimos num navio de Alexandria que invernara na ilha, o qual tinha por insígnia Castor e Pólux. (Atos 28:11)


Leia mais . . .

O que Jesus fez - Jesus ensina a importância de um verdadeiro cristão.

Ensinos biblicos - Curioso Bíblico

Jesus ensina a importância de um verdadeiro cristão.

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. (Mateus 5:13-16)


Jesus nos mostra através desse ensino que fomos feito com um propósito; agradar a Deus em tudo, e uma das coisas fundamentais que agradam a Deus é glorificar o seu nome, divulgar sua Palavra, manifestar suas obras, levar o conhecimento da salvação a todos os homens.

As vezes digo que algo que traz tanto efeito quanto pregar a Palavra de Deus, "e em alguns casos" traz mais efeito, é o bom comportamento conforme ensina a Palavra. Muitas pessoas ouvem os ensinos bíblicos de pessoas que não dão bom testemunho de cristãos e as vezes não vivem o que ensinam. Isso faz com que a credibilidade seja nula e a Palavra semeada não gere muitos ou bons frutos na vida daquele que a ouve.

Mas existem pessoas que se aproximam do Senhor por se sentirem atraídas pelo poder de Deus manifesto no bom comportamento do bom e verdadeiro cristão, que age com mansidão, respeito, sabedoria e busca a todo momento agradar ao Senhor com suas atitudes. Assim devemos ser e buscar viver constantemente. 

A luz de Deus deve ser irradiada atravéz de nossas vidas a fim de tirar o mundo das trevas, pois o mundo "jaz" no maligno, e não é do maligno, ele é de Deus e está contaminado pelo pecado. Cabe a nós ser verdadeiros cristãos e coloborar com Deus nessa grande tarefa de resgatar os perdidos. 
Leia mais . . .

Reflexão - As três peneiras

Reflexão bíblica no blog Curioso Bíblico

As três peneiras

Um homem, procurou um sábio e disse-lhe: - Preciso contar-lhe algo sobre alguém! Você não imagina o que me contaram a respeito de... Nem chegou a terminar a frase, quando Sócrates ergueu os olhos do livro que lia e perguntou: - Espere um pouco. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras? - Peneiras? Que peneiras? - Sim. A primeira é a da verdade. Você tem certeza de que o que vai me contar é absolutamente verdadeiro? - Não. Como posso saber? O que sei foi o que me contaram! - Então suas palavras já vazaram a primeira peneira. Vamos então para a segunda peneira: a bondade. O que vai me contar, gostaria que os outros também dissessem a seu respeito? - Não! Absolutamente, não! - Então suas palavras vazaram, também, a segunda peneira. Vamos agora para a terceira peneira: a necessidade. Você acha mesmo necessário contar-me esse fato, ou mesmo passá-lo adiante? Resolve alguma coisa? Ajuda alguém? Melhora alguma coisa? - Não... Passando pelo crivo das três peneiras, compreendi que nada me resta do que iria contar. E o sábio sorrindo concluiu: - Se passar pelas três peneiras, conte! Tanto eu, quanto você e os outros iremos nos beneficiar. Caso contrário, esqueça e enterre tudo. Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e fomentar a discórdia entre irmãos. Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz! Da próxima vez que ouvir algo, antes de ceder ao impulso de passá-lo adiante, submeta-o ao crivo das três peneiras porque: Pessoas sábias falam sobre idéias; Pessoas comuns falam sobre coisas; Pessoas medíocres falam sobre pessoas. Autor: Sócrates.

Devemos meditar e nos esforçar severamente para viver conforme ensinam esses dois versículos bíblicos:

Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. (Filipenses 4:8)

Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. (Efésios 4:29)




Leia mais . . .

Joice Meyer - Limpe sua mente - Download e vídeo

Mensagens e pregações...

Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; e vos renoveis no espírito da vossa mente; e vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade. (Efésios 4:22-24)

CLIQUE NO TÍTULO ABAIXO PARA O DOWNLOAD DA MENSAGEM EM ÁUDIO:

OU ASSITA O VÍDEO ABAIXO:




Leia mais . . .

Lições Bíblicas - O significado da intercessão

tenha mais lições bíblicas aqui no blog Curioso Bíblico
O SIGNIFICADO DA INTERCESSÃO

Texto Base: 1 Timóteo 2.1-8

Intercessão é a chave que move ou retém a mão de Deus. O apóstolo Paulo declarou que interceder é uma prática que deve ocupar o primeiro lugar em importância na vida da igreja. Ele falou: “Antes de tudo...”.

Não há registro de Jesus ter ensinado os seus discípulos a pregar, a adorar... mas os ensinou a orar. Há pelo menos três pontos básicos sobre Intercessão, que importa conhecermos bem, a fim de praticarmos com êxito este ministério.

O primeiro ponto básico sobre o tema “Intercessão”, é este:

1. O QUE É INTERCESSÃO

Interceder significa literalmente “mediar”, significa fazer mediação. Interceder é você se colocar no lugar do outro e pleitear, defender, a causa dele. O intercessor levanta as mãos para Deus e diz: “Senhor, eu me coloco diante do Senhor para lutar em favor de Fulano. Eu apresento a minha vida, a minha fé, a minha insistência como um argumento para que o Senhor abençoe a ele”.

Portanto, o intercessor é alguém que, com humildade, mas com ousadia, “compra uma causa diante de Deus”, em favor de seu semelhante. 

O segundo ponto básico que importa conhecer bem é:

2. A NECESSIDADE DE INTERCESSORES

É necessário haver intercessores pelo fato de Deus, Santo como é, punir o pecado. Deus é bom, mas Ele é também Santo e Justo, então, quando o homem peca, Deus o reprova. A santidade de Deus O leva a punir o pecado, por outro lado, o Amor de Deus O leva a abençoar o pecador com misericórdia.

E aí é que entra a necessidade do intercessor... a necessidade de alguém que se apresente diante do Senhor para fazer com que venha mais graça do que juízo sobre o que pecou. A mão de Deus pesa sobre o pecador, mas ela pode também ser estendida para abençoar o pecador. Se não houver o intercessor, então o que ocorre é que o pecador fica só e debaixo do juízo de Deus.

O terceiro ponto básico sobre Intercessão, é que:

3. DEUS PROCURA INTERCESSORES (Ezequiel 22:23-31)

Os intercessores são, muitas vezes, tudo o que Deus precisa para ser movido a abençoar uma pessoa, a mudar a sorte de alguém. Deus é Amor, mas ao mesmo tempo é Santo e Justo... por isso, tem que punir o pecado, mas, ainda assim, Deus quer exercer misericórdia.

Leremos Ezequiel 22.23-31 a fim de conhecermos o que se passa no coração de Deus. Nesta passagem, Deus fala sobre o pecado que havia dominado todos os níveis da nação... os profetas, os príncipes, os sacerdotes, e por fim, todo o povo haviam se corrompido.

Então, nos v. 30-31, Deus desabafa: “Procurei entre eles um homem que erguesse o muro e se pusesse na brecha diante de mim e em favor desta terra, para que eu não a destruísse, mas não encontrei nenhum...”.

Que declaração chocante! Deus buscou um (apenas um) homem que intercedesse por aquela gente... como não encontrou, Ele teve que descarregar Seu juízo sobre o povo.

Hudson Taylor, entendia essa busca de Deus e fez o compromisso de interceder. Ele declarou: “Durante mais de quarenta anos, o sol nunca se levantou na China, sem me encontrar de joelhos, em oração”.

Outra passagem muito forte é Isaias 59.12-16 (leia). Esse texto revela que o errado era tratado como sendo o correto naqueles dias (e a coisa não mudou muito...), e termina descrevendo a reação de Deus, no v. 16: “Ele viu que não havia ninguém, admirou-se porque ninguém intercedeu”.

Estas duas passagens (Ez 22 e Is 59) nos mostram com clareza, como Deus precisa que intercessores se levantem para abençoar vidas, e como é frustrante para Ele, em muitas ocasiões, quando os intercessores não são encontrados.

Considerando os pontos básicos, precisamos conhecer o maior de todos os intercessores. Jesus foi e continua sendo o maior de todos os intercessores. Ele se apresentou diante do Pai, em nosso lugar, e fez isto não apenas com palavras e orações, mas com o próprio sangue. Jesus, enquanto estava vivendo na terra, viveu uma vida intensa de oração.

Na Bíblia, nós encontramos Jesus, por exemplo, chorando sobre Jerusalém (Lucas 19:41). Em João 17, Jesus estava intercedendo intensamente pelos discípulos que haveriam de passar por muita tribulação. Mas o ponto alto da intercessão de Jesus teve lugar na cruz, quando Ele, literalmente, ofereceu a Sua vida em favor da nossa... e até hoje, Jesus continua no ministério de intercessão! (Hebreus 7:24-25)

Com Jesus, aprendemos algumas verdades muito importantes sobre o Ministério de Intercessão. (Aprenderemos na próxima lição)

Autor: Pastor Daniel Sampaio - BOLETIM PARA GCEM - nº 366 - 16 a 29 de Setembro de 2013 
Fonte: www.centraldobarreiro.com

Leia mais . . .

Papel de parede evangélico - Jesus, nome incomparável

Baixe mais papéis de parede aqui no Curioso bíblico
E no seu nome os gentios esperarão. (Mateus 12:21)

Clique "AQUI" e baixe mais papéis de parede
Leia mais . . .

Lições Bíblicas - Eu e a minha casa serviremos ao Senhor.

Mais lições Bíblicas aqui no blog Curioso Bíblico

Lições Bíblicas - Eu e a minha casa serviremos ao Senhor.

"Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8.32.

O cristão deve zelar por seu lar, vigiar e orar em todo tempo, para que sua casa nunca esteja alicerçada em fundamentos inseguros. Ao manter a vigilância em nosso cotidiano, o lar não é invadido pela imoralidade em que submerge o presente século.

"Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá." - Êxodo 20.12. O primeiro mandamento como promessa precisa ser ensinado no lar de geração em geração.

O óbvio e ululante precisa ser levado em consideração em conversas familiares. O primeiro mandamento com promessa é dirigido aos filhos. E pais um dia foram filhos e a lógica é esperar que os filhos  se casem e se tornem pais. A vigilância em casa passa pela comunicação de qualidade, com pais instruindo filhos sobre o caminho do Senhor (Provérbios 22.6).

As Escrituras Sagradas nos mostra homens que, embora não fossem perfeitos, conduziram suas famílias em comunhão com Deus.

O exemplo de Noé


O perfil de Noé revela aos pais de família cristãos as qualidades de quem serve ao Senhor. Os contemporâneos de Noé  desprezavam o Criador, compunham a sociedade perversa, violenta, imoral. Ele era homem justo, honesto. Tornou-se conhecido ao pregar o juízo divino contra os pecadores, como uma pessoa que andava com Deus. Nesta situação, sendo ele um agricultor foi chamado por Deus para atividades de marcenaria, para construir a gigantesca arca que o salvaria, junto com toda sua família e uma espécie de cada casal de animais viventes daquela geração, do dilúvio que destruiu a humanidade (Gênesis 6.9; 1 Pedro 3.19-21; 2 Pedro 2.5).

Noé teve ensino em casa, sua ascendência contém nomes de servos de Deus: foi filho de Lameque, neto de Matusalém, bisneto de Enoque, valorizou o que os servos de Deus de sua família lhe ensinaram. Sua esposa e filhos ouviram o que ele orientou, trabalharam juntos com ele durante décadas para concluir a construção da embarcação.

Os ensinos de Jesus Cristo são os detalhes da "embarcação" que mantém a nós e nossa família seguros diante da sociedade sem temor a Deus. É preciso tomar a decisão de entrar no "barco" construído no lar, para escapar e prover escape aos familiares da condenação que está prestes a cair sobre as cabeças corrompidas de quem despreza a Palavra do Senhor em nossa geração (Gênesis 5.21-32; Mateus 24.37-38; Lucas 17.27). O Senhor é a única resposta certa para os nossos dias. Com a graça celestial a família vence os desafios da vida.

O exemplo de Josué


A biografia de Josué nos ensina a importância da tomada de decisão pela fidelidade ao Senhor quando todos em sua volta praticam o pecado. Josué nasceu escravo, em uma família escravizada no Egito, tornou-se auxiliar do grande legislador Moisés e após sua morte tornou-se seu sucessor. Quando Canaã estava repleta de idolatria e imoralidade, declarou sua decisão de ser fiel e não se esqueceu de sua esposa e filhos ao posicionar-se quanto a viver em devoção ao Criador. Além de líder da nação, exerceu liderança familiar, para que cônjuge e filhos não fossem destruídos pela iniquidade (Josué 24.15).

O cristão fiel ao Senhor é aquele que apesar de viver em uma sociedade oposta aos princípios de sua fé não deixa de se posicionar contra o pecado. Os pais não devem renunciar a autoridade sobre os filhos, têm a responsabilidade de educar as crianças em sua formação espiritual. Agir com equilíbro, ensinando com firmeza e carinho os limites do que venha a ser uma conduta ideal diante de Deus e da sociedade (Efésios 6.4).

Ao comprometer-se com seriedade na prática do estudo bíblico, ler e pensar sobre a vida cristã, soluções libertadoras sempre estarão presentes diante de problemas no seio familiar. Os pais, como educadores de seus filhos, precisam reservar tempo para refletir sobre a prática do ensino. Como tem sido? O que precisa melhorar? Ninguém está isento de erros, mas sempre será tempo oportuno ao autoexame, adotar correções e tomar atitudes que conduzam ao caminhos de acertos auspiciosos.

O exemplo dos recabitas


Midiã foi filho de Abraão com Quetura, e dessa relação surgiu a tribo dos midianitas. Entre os midianitas veio a existir Recabe, homem que foi testemunha ocular do cumprimento da profecia de Elias por intermédio de Jeú no tocante à destruição dos parentes de Acabe. A família de Recabe ficou conhecida como o grupo de israelitas chamado de os recabitas. Recabe gerou a Jonadabe, que foi um enérgico opositor do culto ao falso deus Baal (2 Reis 10.15-28; Jeremias 35.5-10).

Jonadabe, com o objetivo de evitar que sua família cultuasse ao falso deus Baal instruiu sua posteridade a não ingerir bebidas fortes, não se dedicar à agricultura, não construir casas e viver em barracas, consagrarem-se para adorar a Deus. E todos obedeceram fielmente .

A fidelidade dos recabitas às orientações de Jonadabe é exemplar. As Escrituras preservam o nome de Jonadabe e sua descendência como um núcleo familiar que guardou as leis do Senhor durante um período em que o povo de Israel se esquecia rapidamente. A instrução no lar conduz a família à uma vida feliz (2 Timóteo 3.14-17).

No lar, a prática do jejum, da leitura bíblica em grupo, da oração coletiva e a prática de fazer do dia a dia um altar de culto a Deus nos dá condições de enfrentar e vencer os males desse mundo perdido sendo bênção e influenciando os entes queridos  a serem também.

Conclusão


É importante a transmissão da doutrina bíblica dos pais aos filhos. As pessoas que decidem servir a Deus com fidelidade jamais serão destruídas, embora estejam sujeitas a passarem por aflições. Se pais e filhos escolherem ter Jesus Cristo como apoio e centro do lar, crescerão na graça e no conhecimento do Senhor, conquistando o privilégio de glorificar a Deus no tempo presente e para todo sempre no céu (2 Pedro 3.18).



Fonte: Site Belvedere

E.A.G.
__________

Compilações intercaladas com textos de quem assina a postagem. Consultas: 
A Bíblia da Mulher; páginas 631, 632, 1235, 1236, edição 2009;  Barueri, SP (Sociedade Bíblica da Mulher).
Ensinador Cristão; ano 14, nº 54; página 42; abril-maio-junho de 2013, Rio de Janeiro - RJ (CPAD). 
Lições Bíblicas - edição mestre; Elinaldo Renovato; 2º trimestre de 2013, Rio de Janeiro - RJ (CPAD). 
Leia mais . . .

Lugares Bíblicos - Nínive

Nínive

Nínive (em acadiano: Ninua; neo-aramaico assírio: ܢܝܢܘܐ; em hebraico: נינוה, Nīnewē; em grego: Νινευη; em latim: Nineve; árabe: نينوى, Naīnuwa), uma "cidade excessivamente grande", como é chamada no Livro de Jonas, jazia na margem oriental do rio Tigre, na antiga Assíria, através do rio da importante cidade moderna de Mosul, no estado de Ninawa do Iraque.

Foi capital da Assiria no tempo do rei Senaquerib (700 a.C.). O profeta Jonas foi enviado para esta cidade por volta do ano 780 a.C. Cerca de 70 anos antes da Assíria invadir Jerusalém no tempo do rei Senequaribe em 710 a.C. Foi totalmente destruída e não deixou vestígios a não ser uma colina que fica hoje no Iraque.– cidade da Mesopotâmia. O profeta Naum escreveu esta profecia por volta do ano 660 a.C. e a queda de Nínive nas mãos dos babilônicos, a quem a profecia se referia, ocorreu por volta de 612 a.C, 48 anos após.

Os montículos antigos de Nínive, Kouyunjik e Nabī Yūnus, estão localizados num nível da planície perto da confluência do rio Tigre e Khosr com uma área de 1800 acres circunscrita por uma muralha de tijolos de 12 kilômetros. Esse espaço extensivo inteiro é hoje uma imensa área de ruínas sobreposta em partes pelos novos subúrbios da cidade de Mosul.

Nínive era uma junção importante para as rotas comerciais cruzando o Tigre. Ocupando uma posição central na grande estrada entre o Mar Mediterrâneo e o Oceano Índico, assim unindo o Oriente e o Ocidente, recebia a riqueza que fluía de várias fontes, tornando-se logo uma das maiores cidades antigas da região.

Na Bíblia, Nínive é primeiramente mencionada em Gênesis 10:11: “Ashur deixou aquela terra e construiu Nínive”. Algumas traduções modernas interpretam Ashur no hebraico deste verso como o país “Assíria” antes que uma pessoal, assim fazendo Nimrod o construtor de Nínive.

Apesar do livro de Reis e o livro das Crônicas falarem bastante sobre o Império Assírio, Nínive não é notada até os dias de Jonas, quando é descrita (Jonas 3:3; 4:11) como uma “cidade excessivamente grande com três dias de jornada”, provavelmente em circuito. Isso daria uma circunferência de aproximadamente 100 kilometros. É também possível que se tomasse três dias para cobrir todas as proximidades andando, o que iria estar de acordo com o tamanho da Antiga Nínive. As ruínas de Kouynjik (Nimrud), Karamles e Khorsada formam os quatro cantos de um quadrângulo irregular. As ruínas de Nínive, com toda a área incluindo o paralelolgrama que elas formam por linhas desenhadas de uma a outra, são geralmente vistas como consistindo desses quatro cantos. O livro de Jonas retrata Nínive como uma cidade cruel merecedora da destruição. Deus manda Jonas para profetizar contra a cidade, e os ninivitas se arrependem. Como resultado, Deus poupa a cidade; quando Jonas protesta contra isso, Deus afirma que ele está demonstrando piedade pela população que ignora a diferença entre o certo e o errado.

Nínive era a florescente capital do império Assírio (2Reis 19:36); e foi, ostensivamente, a casa do Rei Senaqueribe, Rei da Assíria, durante o reinado bíblico do rei Ezequias e da carreira profética de Isaías. De acordo com as escrituras, Nínive foi também o lugar onde Senaqueribe morreu nas mãos de seus dois filhos,após derrota de seu numeroso exercito (segundo a Bíblia por apenas um anjo enviado por Deus[2Cr 32:21]) seus filhos fugiram para a terra de Ararate. O livro do profeta Nahum é quase exclusivamente uma coleta de denúncias contra essa cidade. Fontes: Wikipédia, Dicionário de Lugares Bíblicos.


Leia mais . . .